Fechar

ADEP-BA
Twitter Facebook RSS
Carregando...

Defensor em Destaque

09.07.2018

Defensora pública tem prática premiada no Rio de Janeiro

A defensora pública Mônica Aragão, juntamente com a assistente social Sheyla Paranaguá, teve prática premiada pela Defensoria Pública do Rio de Janeiro no seminário "Qualidade e eficiência no atendimento na Defensoria Pública: experiências e desafios", cuja realização tem os apoios da Anadep e do Condege.

O evento tem por objetivo contribuir para a produção de conhecimento, aprendizagem institucional e troca de experiências acerca de projetos relacionados à qualidade e eficiência no do atendimento ao público, debatendo seus limites e possibilidades de replicação.

A prática, viabilizada pela defensora pública em parceria com a servidora por meio do "Projeto Socorrer - Entrelaçando saberes na prestação de atendimento às pessoas adultas e idosas incapazes institucionalizadas no município de Salvador", foi premiada na categoria "Atendimento com foco em atuação extrajudicial" e apresentada para defensores públicos do país no último dia 28 de junho.

Mônica Aragão explica que receber a premiação por uma das defensorias públicas mais ativas do país, como é a do Rio de Janeiro, é um reconhecimento pelo trabalho feito pela Defensoria baiana. Para ela, a grande importância do Projeto Socorrer é dar voz e visibilidade ao público-alvo atendido pela iniciativa.

"Estamos dando visibilidade às pessoas que estão nestes abrigos, que estão em instituições de longa permanência ou em organizações sem fins lucrativos e que são postas lá e lá ficam, muitas vezes sem seu querer", disse ao destacar que a Curadoria entra justamente quando as pessoas têm algum tipo de deficiência ou incapacidade, não podem atuar plenamente, precisam de um representante legal e, às vezes, o querer do representante é em desacordo com o querer dela mesma.

"Semelhante como o "Acolher" atua para crianças e adolescentes,pensei no ‘Socorrer’ para atuar com pessoas adultas e idosas que estejam em conflito com seu representante legal, que o querer dela não se coaduna com o do seu representante legal", acrescentou a defensora pública.

Dentre os objetivos do Socorrer estão: diagnóstico de situações-problemas conforme ações de interdição e curatela; intermediação e consecução das demandas sociojurídicas tanto das instituições quanto das residentes; realizar oficina de educação em direitos e grupos focais, in loco.

As instituições alvo do Socorrer são de acolhimento público ou sem fins lucrativos cujo público-alvo são pessoas adultas e idosas sem representação legal, curateladas ou em processo de curatela. Estão concentradas no Distrito Sanitário de Itapagipe, com residentes majoritariamente do sexo feminino.

 

Fechar

Envie esta matéria para um amigo.



Central do Associado

Associe-se Plano estratégico de Implementação Qualicorp Pós-Graduação a Distância Infinity Academia
Viewnet

Av. Antônio Carlos Magalhães, 3244, sala 907, Edíficio Thomé de Souza, Pituba - Salvador/BA. CEP 41.800-700
Telefone: (71) 3321-4185 Fax: (71) 3321-4185, adepbahia@adepbahia.com.br